Vogue Brasil une moda e música no Rdio

Follow_me_voguebrasil-12val

Todo mundo sabe que a Vogue é referência em moda e estilo de vida no mundo todo. E a versão brasileira da revista não fica atrás, não. Mas o universo Vogue vai muito além de looks e passarelas. A galera da redação saca muito de som também!

É por isso que a gente fica muito feliz em contar que a Vogue Brasil chegou pra ficar aqui no Rdio! Nosso novo influencer veio pra criar playlists que têm tudo a ver com as tendências do mundo inteiro, principalmente no universo fashion. E ainda tem uma station só da revista na categoria "Está Na Moda"! Não é demais?!

A curadoria musical fica por conta da Bruna Bittencourt, editora-assistente de cultura da revista. "Procuramos a Rdio porque gostaríamos que nossa leitora (ou nosso leitor) escutasse os artistas dos quais estamos falando na revista, para que ela seja nosso braço musical", explica.

A Bruna vai criar playlists mensais que traduzam a trilha da redação mais elegante do país, algumas delas temáticas - porque sim! "Desde a edição de abril, nossas matérias ou mesmo notas sobre música são acompanhadas por um ícone que convida o leitor a acessar a versão da revista no tablet, onde está disponível o link daquele artista na Rdio", conta.

O que a gente vai ver (na verdade, ouvir) daqui pra frente é o melhor do Hi-Lo sonoro! A editora-assistente explica  que "dá para misturar na mesma playlist Beatles e Boogarins; Joy Division e Interpol; Michael Jackson e Justin Timberlake - as possibilidades são infinitas". E a gente concorda!

Quer conhecer o que vem por aí? Dá o play aqui embaixo ou sintoniza na station Vogue Brasil aqui: http://bit.ly/VogueBRstation

∞  04/17/2015 — 10:47AM

Posted by Frances Danckwardt at 10:47AM | | Comments (0)

Selos de rap pra seguir no Rdio

Selos_rap

Uma das coisas mais legais no hip hop é que a música tem todo um contexto. Nunca é somente um som, há uma ideia a sobre o movimento que é passada adiante através das rimas. É por isso, também, que o estilo é tão contagiante e, mais do que fãs, ganha seguidores todo o tempo.

Mas o mercado sonoro não foi sempre tão aberto aos rappers e MCs. Boa parte dos selos de hip hop foram criados em função da necessidade que os músicos sentiam de lançar novos trabalhos, enquanto o espaço oferecido pelas gravadoras era bastante limitado.

Hoje, vários desses selos se estabeleceram e viraram referência no universo do hip hop. Ou seja, para quem curte descobrir música nova dentro de um mesmo gênero, acompanhar os lançamentos desses records labels e, é claro, as stations deles no Rdio. Conheça alguns:

Suave House Records

Hqdefault

Também conhecido com o pomposo nome de The Legendary Suave House, o selo foi fundado no início dos anos 1990 por Tony Draper, em Houston, no Texas. A ideia era que os rappers do sul dos Estados Unidos pudessem gravar suas rimas, já que não rolavam muitas oportunidades com as grandes gravadoras da época.

A dupla Eightball & MJG foi um dos grandes sucessos da casa até os anos 2000, quando deixaram o selo. Outros artistas como Tela, Mr. Mike e Crimeboss também fizeram história no arquivo da Suave House.

Rap-a-Lot

Rap-A-Lot

Também de Houston, Rap-a-Lot foi criado um pouco antes, em 1986, por James Prince. O selo foi um dos primeiros a colocar os rappers do sul na mapa do hip-hop americano - e mandou muito bem nisso!

O grupo Geto Boys foi um dos maiores destaques e levou o nome do label para o resto do país. Devin the Dude foi outro grande nome da casa e também quem manteve o contrato por mais tempo, encerrando só em 2008, completando 15 anos de parceria. Hoje, artistas como Z-Ro e Bun B estão entre os principais contratados do selo.

Cash Money

072413-celebs-records-labels-cash-money-records-logo.jpg.custom1200x675x20

Lil Wayne, Drake, DJ Khaled, Nicki Minaj, Ace Hood e Tyga. Basta ler esses nomes pra entender que o Cash Money é um dos grandes selos da cena do hip hop americano. Afinal, não é à toa que alguns dos maiores rappers dos Estados Estudos façam parte do time.

Criado em 1991, também no Texas, o Cash Money ganhou a atenção do resto do país com o lançamento de álbuns de sucesso de Hot Boyz, B.G. e Lil Wayne. Aliás, foi Wayne que levou Drake e Nicki Minaj e deu um up generoso na imagem do selo, que hoje é um dos maiores da área.

Def Jam Records

500px-DefJamRecordings_svg

A Def Jam é conhecida por lançar artistas de peso da cena atual de hip hop e R&B. Fundada pelo produtor musical Russell Simmons (que, por sinal, saca tudo do som das ruas), tem no currículo nomes como Snoop Dogg, Ludacris, Ice-T, Chris Judge e Kanye West. Desde o início dos trabalhos, artistas como LL Cool J, Beastie Boys, Public Enemy e Slick Rick lançaram álbuns pelo selo. Nada mal, né?!

A história desses selos é muito bacana e diz muito sobre o rap no início dos anos 1990. Agora que você já conhece alguns deles, que tal seguir seus perfis no Rdio? :)

∞  04/10/2015 — 10:49AM

Posted by Frances Danckwardt at 10:49AM | | Comments (0)

Artistas em foco MúsicaRecomendados por Rdio

Behind the music Rael

Behind_music_rael

As primeiras rimas de Rael foram criadas quando ele ainda tinha 16 anos. O talento natural para o rap foi somado ao interesse do músico por outros gêneros musicais e, assim, que ele começou a misturar ritmos.

Depois de participar do grupo Pentágono, Rael (antes conhecido como Rael Da Rima) embarcou na carreira solo e já tem no currículo álbuns e EPs de sucesso. O projeto mais recento, "Diversoficando", foi lançado de um jeito mega especial, rodando em diversos lugares na rua, onde basta plugar fones de ouvido e curtir o som do artista. 

A gente conversou sobre tudo isso com Rael, que nos conta sobre as origens do seu trabalho, suas inspirações e as aspirações como músico. O papo foi incrível e a gente sugere que você leia enquanto curte o som dele:

  1. Você com o grupo Pentágono e depois embarcou na carreira solo. Isso tem a ver com sua vontade de explorar mais gêneros musicais?
    Rael: Na verdade, isso de misturar gêneros já acontecia no Pentágono. Eu compunha no violão algumas músicas que entraram pro disco chamado "Natural", de 2008. Músicas como a ''Do Senhor'', ''Pelo Que Eu Sei'', por exemplo, que já tinham influências de Jorge Ben e outros gêneros brasileiros, e, nessa de compor com violão, quando me dei conta, em 2010 estava com um disco em mãos, o "MP3 (Música Popular do Terceiro Mundo), além de explorar outros gêneros como MPB, reggae etc. Também me trouxe naturalmente uma pegada de explorar mais esse lado de vozes melódicas nas canções, daí pra frente foi um processo natural para o trabalho solo.
  2. Em 2013, você resolveu desligar o "Da Rima" do seu nome artístico. Tem algum motivo específico para essa mudança?
    Rael: Sim, 3 motivos específicos. Primeiro, em entrevistas, o entrevistador sempre me pedia para fazer uma rima de improviso pelo fato de carregar o "da rima" no nome, e eu não sou um MC de freestyle de batalha. Segundo, têm vários moleques rimando bem mais do que eu pra eu ser o "da rima" (risos). Terceiro, o fato de começar a tocar violão e de explorar mais a minha voz em outros gêneros sem ser só rap. Com o nome Rael sinto mais essa liberdade pra transitar e mesclar mais coisas dentro da música de um modo geral.
  3. Você lançou "Diversoficando" de um jeito bem original, colocando o som (literalmente) na rua. Conta pra gente como funcionou esse projeto.
    Rael: Esse projeto funciona da seguinte maneira: instalamos dispositivos feitos com uma impressora 3D, duas baterias de celular e um aparelho de mp3 contendo 440 horas de música. Eu, como já trabalhei de pedreiro com meu pai, colei com marreta, talhadeira e chumbei esses dispositivos dentro da parede deixando somente um buraco com a entrada P2. Aí é só plugar o fone e sair curtindo o novo EP. Pra poupar energia desses dispositivos, fizemos com que ele funcione somente quando você plugar seu fone de ouvido, sendo assim, tem locais que coloquei em Novembro quando lancei o EP e está funcionando até hoje. E é assim que funciona o projeto #Diversoficando pro mundo diverso ficar (risos).
  4. Qual estilo musical você ainda não misturou com o rap, mas ainda tem vontade?
    Rael: O forró na pegada Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro. Meu pai é sanfoneiro e tô para presenteá-lo com um acordeon e ver se sai alguma coisa.
  5. Quais são suas principais referências musicais na hora de compor?
    Rael: Sabe que não tem uma principal? Me influencio por um monte de coisas, mas às vezes surge de uma linha de baixo que me vem à cabeça e dali surge uma outra melodia e quando vou ver já tem um som, mas claramente sempre vem a referência do rap e de sua oratória.
  6. O que falta para o rap no Brasil? E qual a melhor parte de viver dessa cena por aqui?
    Rael: Definir o que falta em uma palavra eu não saberei, porque não só o rap mas fazer música, não só no Brasil, mas no mundo, é uma guerrilha pra fazer funcionar, parças. Mas acredito que falta o passar dos anos se tratando de rap. Os norte-americanos estão uns 20 anos à nossa frente. A parada lá começou nos anos 90 e se popularizou atingindo outras classes, e o mundo em uma grande escala, então com o tempo acredito que isso aconteça no Brasil. Creio que já estamos dialogando com mais pessoas devido ao avanço da era digital em nossas vidas.
  7. Você tem alguma descoberta musical recente pra recomendar? Algum artista que conheceu nos últimos tempos e curtiu muito?
    Rael: Conheci um artista norte-americano chamado Alex Wiley. A música ''Vibration'' foi a que mais curti. Mas tem várias novidades boas. Tem também um outro artista chamado Maverick Sabre, com sons loucos também.

∞  04/09/2015 — 2:02PM

Posted by Frances Danckwardt at 2:02PM in Artistas em foco , Música, Recomendados por Rdio | | Comments (0)

DicasNotíciasNovidades no Rdio

Da página do Rdio para o palco: descubra quando seus artistas favoritos estarão tocando perto de você.

Tour-dates-5

O Rdio está aproximando ainda mais você de suas bandas preferidas. Agora, com a integração do Rdio ao Songkick, é fácil ver quem tem um show agendado perto de você, assim que as datas da turnê são anunciadas. Você pode até comprar ingressos enquanto curte as músicas de suas bandas favoritas!

Fique de olho em datas de turnê em alguns lugares:

  • Home

Quando você estiver navegando em Home, procure a nova seção "Concerts recommended for you". Ali você vai encontrar shows das bandas que você curte e que estão chegando em lugares perto de onde você mora. Quanto mais você favoritar artistas na plataforma e escutar o som deles, mais a gente recomenda shows.

  • Página dos Artistas


Se algum dos seus artistas favoritos for tocar por perto, você vai ver o ícone verde "On Tour" no topo da página, avisando quando e onde você pode vê-los ao vivo.

De qualquer uma dessas páginas, você pode dar um clique para comprar ingressos. A nova ferramenta está sendo lançada agora na web e estará disponível em dispositivos móveis nos próximos meses.

Aproveite o show!

∞  04/09/2015 — 7:09AM

Posted by Frances Danckwardt at 7:09AM in Dicas, Notícias, Novidades no Rdio | | Comments (0)

#17 Help - Como Economizar Banda

Help_rdio_16-kngtt
Todo mundo gosta de ouvir música boa, né? E se tem uma coisa que a gente prioriza nas faixas do Rdio é a qualidade do áudio, caprichado para agradar os ouvidos mais exigentes.

Porém, mesmo com o melhor som na nossa plataforma, nem sempre a conexão disponível no computador colabora com a reprodução e fica difícil curtir seus álbuns favoritos numa boa.

Então, para que você não precise sacrificar a delícia que é ouvir suas músicas favoritas com tranquilidade, a gente tem uma dica das boas: redefinir a taxa de bits do seu Rdio para economizar dados.

1) Abra o Rdio no seu navegador ou no aplicativo para desktop;

2) Clique na seta que fica à direita do seu nome no canto superior direito da tela e selecione a opção "Configurações";

Captura de Tela 2015-04-02 às 10.37.13

3) Clique em "Avançada", opção que estará logo abaixo do seu nome;

Captura de Tela 2015-04-02 às 10.37.56

4) Em "Qualidade do som (kbps)", escolha a taxa de bits de sua preferência.


Lembre-se de que taxas menores economizam dados e funcionam melhor para conexões mais lentas. E para não sacrificar muito a qualidade do som, o ideal é encontrar um meio termo, como a taxa recomendada (96 kbps).

Captura de Tela 2015-04-06 às 10.27.20

Viu? Sempre tem um jeito de tornar a sua experiência com o Rdio melhor. Até porque ouvir música tem que ser simples e prazeroso.

∞  04/06/2015 — 10:32AM

Posted by Frances Danckwardt at 10:32AM | | Comments (0)

Páscoa com I Could Kill For Dessert: Receita + Playlist

Playlist_pascoa-17ak5

Tudo bem: Páscoa tem que ter chocolate e a gente jamais discordaria disso. Mas tem outro elemento que não pode faltar. Uma boa trilha sonora, é claro! E tudo fica ainda mais gostoso quando os dois andam juntos. Por isso a gente fez uma parceria com a Danielle Noce, do site I Could Kill For Dessert, para compartilhar uma receita deliciosa e uma playlist imperdível - ambos achocolatados!

Então faz assim: aperta o play aqui embaixo e vai curtindo a trilha do ICKFD enquanto prepara essa receita fantástica de ovo de chocolate recheado. Nham! 

Por I Could Kill For Dessert

Ovo-de-colher-de-brigadeiro-ickfd-4

PREPARO: 20 minutos

TEMPO DE COZIMENTO: 10 minutos

TEMPO DE ESPERA: 10 minutos

RENDIMENTO: 1

Ingredientes

  • 100 gramas de CHOCOLATE AMARGO (para cada metade de ovo de tamanho médio) - você pode aumentar essa quantidade, dependendo de quantos ovos irá fazer.
  • 1 grama de MYCRYO para temperar o chocolate - use sempre 1% de mycryo em relação a quantidade usada de chocolate.
  • 1 BOLO DE CHOCOLATE - Você pode usar a metade da receita do Naked Cake, para essa receita, clique aqui e ainda assim você conseguirá fazer pelo menos umas 8 metades de ovos com ela.
  • 1 receita de BRIGADEIRO. Você pode escolher o da sua preferência clicando aqui. Eu usei a receita de brigadeiro gourmet. Com cada receita de brigadeiro você consegue rechear aproximadamente 2 metades de ovos.
  • CONFEITOS - opcional.

Modo de Preparo

  1. Em banho-maria, derreta o chocolate até que ele atinja 45 a 50oC.
  2. Retire do banho-maria e mexa sem parar até que o chocolate chegue a 35oC.
  3. Adicione o mycryo e mexa sempre até que a temperatura do chocolate abaixe para 32oC.
  4. Despeje o chocolate na forma até a marcação e aperte com a parte de cima da forma.
  5. Coloque na geladeira por aproximadamente 10 minutos ou até que o chocolate se desgrude por completo da forma.
  6. Cubra o fundo do ovo com um pouco de brigadeiro.
  7. Coloque a fatia do bolo cortada com 1cm de espessura e no formato do ovo.
  8. Pincele o bolo com a calda de especiarias.
  9. Cubra com o brigadeiro e alise.
  10. Arrume em uma caixinha de presente.
  11. Decore com o bico pitanga usando o restante do brigadeiro.
  12. Coloque confeitos se preferir.

PARA A CALDA BASE:

  1. Em uma panela, misture 1 litro de água, 135 gramas de açúcar, 7 cravos, 1 canela em pau e 3 sementes de cardamomo abertas e amassadas.
  2. Leve para ferver.
  3. Assim que ferver, desligue o fogo e deixe esfriar.
  4. Coe e reserve em um pote fechado por até 2 semanas na geladeira ou congelado em forminhas de gelo por até 3 meses.

∞  04/04/2015 — 5:00AM

Posted by Frances Danckwardt at 5:00AM | | Comments (0)

#16 Help – Como Integrar o Rdio ao Shazam

Help2_patrocinado

Você está no corredor do mercado quando, de repente, ouve uma música incrível, que tem tudo a ver com o seu gosto. Mas não tem ninguém com você para que possa perguntar que som é esse. Na balada, toca aquele hit incrível, mas o volume está muito alto e ninguém escuta quando você pergunta que banda é aquela.

Sim, isso poderia acontecer, mas só se a gente não tivesse o nosso amado Shazam ao alcance de nossas mãos. Basta ter o app no seu smartphone pra descobrir toda e qualquer música legal que você ouvir por aí.

E, depois de saber qual é a faixa, é hora de quê? Sim, de ouvir! E, como a gente sabe, nada melhor do que escutar essas músicas com o player do Rdio. Para isso, é preciso apenas integrar os dois apps no seu aparelho. Quer ver como é fácil?

1)    Abra o aplicativo do Shazam e selecione o ícone do Rdio;

2)    Escolha “Reproduzir Faixas Inteiras” para ativar o player;

HelpRdio1 copy

3)    Conecte-se à sua conta no Rdio através do email ou do Facebook;

4)    Escolha a faixa desejada e selecione o Play.

HelpRdio2 copy

 Pronto! Agora é só curtir as músicas inteirinhas com os dois apps integrados. Viu como é simples?!

HelpRdio3 copy

 

∞  04/03/2015 — 4:00AM

Posted by Frances Danckwardt at 4:00AM | | Comments (0)

Artistas em foco MúsicaNovidades Exclusivas

Thiago Pethit no Rdio Sessions

Thiago_pethit_rdio_sessions

A gente já tinha falado aqui sobre as mudanças no trabalho do Thiago Pethit. "Rock'n'Roll Sugar Darling", lançado no final do ano passado, trouxe um músico mais rocker, não só no estilo musical, mas em toda a atitude do artista. E agora a gente tem a oportunidade de ver Pethit em mais uma roupagem.

Nosso Artist To Watch de março participou do Rdio Sessions e gravou versões exclusivas de músicas que ele selecionou a dedo. Tudo foi pensado e executado com muito carinho pra ficar com a cara que Thiago Pethit queria dar a cada faixa.

Foi sobre essa experiência que a gente conversou com o músico, e também sobre carreira, planos e outros gêneros musicais, além do bom e velho rock. Coloca pra tocar o Rdio Sessions e confere a nossa entrevista com o Pethit:

  1. Como foi participar de uma gravação especial dessas? Você já tinha feito algo parecido?
    Pethit: Nunca tinha feito nada exatamente parecido. Entrar em estúdio para gravar um EP ou álbum, somente com os meus projetos pessoais e sem associação nenhuma. Tudo no meu tempo. Foi bem especial. Até porque eu já tinha vontade de lançar um trabalho dessas minhas músicas em versões acústicas e diferentes de como gravei para meus discos. Então, foi um convite bem oportuno.
  2. Como foi a escolha do set? E a adaptação das músicas para a versão gravada na Session?
    Pethit: O set foi pensando em cima de músicas que em meus últimos discos ganharam versões ‘plugadas’, com batidas eletrônicas e mais pulsantes mas que, de certa forma, se encaixariam bem num formato acústico e low-fi, mas parecido com o meu primeiro álbum. Por isso, pensei nos arranjos da forma mais simples, mais perto da canção e mais cruas.
  3. O rock surgiu em "Rock'n'Roll Sugar Darling", de um jeito bem visceral. Como rolou essa mudança no direcionamento do seu trabalho?
    Pethit: Foi um acontecimento natural. Eu digo que a minha intenção, minha mensagem, minhas crenças ao fazer música, sempre foram ‘rock’n’roll’. Não pensando no gênero musical, mas certamente no espírito que ele carrega. Meu segundo disco, Estrela Decadente, já flertava com esse som. O flerte acabou virando naturalmente uma relação mais íntima e esse disco novo é a prova disso.
  4. Você se enxerga trabalhando com outros gêneros musicais? Ou misturando outros estilos com o seu rock mais clássico?
    Pethit: Eu acredito mais na minha mensagem do que no gênero. O gênero precisa estar a favor do que eu quero dizer ou do que eu quero que as pessoas entendam. Qualquer gênero é bem vindo, como qualquer mistura também. O importante é que o som esteja alinhado com minhas crenças e com o espírito ousado que eu tanto gosto no rock.
  5. Há um grande contraste entre "Estrela Decadente" e "Rock'n'Roll Sugar Darling": nasceu o rock star em você. Como está sendo essa nova etapa?
    Pethit: Tem sido bem divertido, mais do que qualquer outra coisa. Afinal, acho que ser rock’n’roll é isso né, antes de tudo, diversão. O Estrela me ensinou algumas coisas sobre esse novo passo, sinto que agora é hora de botar em prática. Especialmente ao que diz respeito a buscar uma experiência única e real com o público nos shows. Rock’n’roll é algo muito vivo, vibrante e realmente pode mudar algo na vida e no estado de cada uma dessas pessoas, como muda em mim mesmo.
  6. Dá pra ver que as mudanças que vêm acontecendo na carreira de Pethit só trouxeram melhorias, né? Que siga assim, vindo mais música, de todos os estilos, desse artista mega talentoso. E, olha que legal: ele criou uma playlist especial só com o som que ele mais gosta e com o qual ele mais se inspira. São 20 músicas para toda a vida! Curte aí:

∞  03/30/2015 — 6:59AM

Posted by Frances Danckwardt at 6:59AM in Artistas em foco , Música, Novidades Exclusivas | | Comments (0)

Behind The Music Emicida

Behind_the_music_05

Tudo começou em São Paulo, nos anos 1990. Depois de simplesmente dominar batalhas de rap, Leandro Roque de Oliveira passou a ser chamado de “assassino” das rimas dos adversários. Foi aí que surgiu um dos nomes mais mencionados da cena, Emicida - uma promessa do rap nacional que já está sendo cumprida.

Triunfo” foi o primeiro single que esse rapper paulista lançou, em 2008. Ele vendeu 700 cópias analógicas. Totalmente independente, Emicida compunha, gravava e distribuía mixtapes por conta própria. Através dessa divulgação artesanal, suas rimas foram ganhando as ruas. Aliás, não é à toa que ele popularizou o grito de guerra “A Rua é Nós”.

As rimas de Emicida são tão fortes que, ainda bem, ganharam reconhecimento e viajaram muito além do circuito de rap paulista. “Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe...” é o nome do primeiro álbum e mixtape lançado por ele, lá em 2009. O rapper começou vendendo de mão em mão e atingiu 3 mil cópias.

E, por incrível que pareça, o nome do disco se refere a uma situação real: ele passava fome na infância e realmente mordeu um cachorro que tentou roubar sua comida.

Em 2010 veio o EP “Sua Mina Ouve Meu Rep Tamém” e, alguns meses depois, o álbum “Emicídio”, com singles marcantes como “Avua Besouro” e o homônimo “Emicídio”. ”Rua Augusta” é outra faixa dessas que você precisa ouvir e, é claro, prestar bastante atenção nas rimas.

A discografia foi crescendo com outros lançamentos. Em 2013, “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui” trouxe algumas das rimas mais marcantes da carreira do rapper até então. “Levanta e Anda”, que tem participação de Rael Lima, “Hoje Cedo”, parceria com a Pitty, e “Alma Gêmea", com Rafa Kabelo.

A gente tem certeza de que você está querendo parar pra ouvir a discografia inteiro agora mesmo. Quer começar? http://www.rdio.com/artist/Emicida

∞  03/24/2015 — 10:08AM

Posted by Frances Danckwardt at 10:08AM | | Comments (0)

Jorge e Mateus lançam novo álbum no Rdio

Jorge_e_matheus

Se tem uma coisa que Jorge e Mateus fazem com o público é provocar suspiros. Mesmo quem não se acha muito sentimental acaba cedendo ao romantismo dos hits da dupla. Impossível não se emocionar com “Logo Eu”, “Calma”, “Nocaute” e “31/12”, últimos lançamentos dos sertanejos, não é?

Mas olha o que é melhor: cada uma dessas faixas faz parte do novo álbum da dupla, “Os Anjos Cantam”, que acaba de ser lançado! São 17 músicas super românticas, com composições da dupla que estão de arrepiar. Além das letras lindas, a guitarra de Mateus marca presença em boa parte das canções – demais!

A dupla investiu em faixas bem intimistas, com voz, piano e violão, bem ao estilo do músico americano John Mayer. Aliás, o baterista do cantor, Aaron Sterling, participa de “31/12”. Se você já gostava dessa música, deve estar amando!

Ok, agora chega de só falar na novidade. Está na hora de ouvir! É só botar pra tocar aqui embaixo e curtir esse lançamento que está contagiante!

∞  03/23/2015 — 12:35PM

Posted by Frances Danckwardt at 12:35PM | | Comments (0)